but i love you

Vê se aparece, amor. Chega bem quietinho, sem que eu perceba e me abraça por trás, devagar. Respira o meu perfume e diz como de costume que ele não deixou de ser o teu preferido. Sorri para mim daquele modo sem graça, aquele sorriso de canto, como quem diz “eu não aguentava mais de saudade”. Vê se aparece, amor. Segura a minha mão enquanto andamos pelas ruas ou até mesmo quando nos deparamos com o pôr do sol. Diz aquelas coisas pra me provocar, me faça te bater e me acalma com um beijo, usando como desculpa, o que era a única forma de desfazer o meu bico cheio de manha e diz também que continua sendo louco por mim. Vê se aparece, amor. Aconchega-me em teus braços, me coloca sobre teu peito. Fica comigo na varanda da sua casa ou mesmo dentro da sala, e quando alguém passar por nós, gruda mais um pouquinho e deixe-o pensar como somos um casal bonito. Quando alguém perguntar durante quanto tempo namoramos, ri daquele modo sem graça e me olha querendo dizer que estamos á mais de anos, a mais de uma vida. Vê se parece, amor e manda embora todas essas coisas ruins que ocupam o meu tempo enquanto não te tenho ao meu lado, mas fica amor (…) fica para sempre. 

0 notes oh, reblog